SisFiesBot

Quase 1 ano sem postar… lá vamos nós…

Estou quase um ano na mesma empresa, isso é um record, meus conhecidos estão estranhando, talvez eu até descubra o que significa férias de peão e décimo terceiro.

Um dos primeiros projetos que fiz lá foi algo relacionado a importar planilhas geradas por pessoas que entravam em um site do governo, faziam control+c control+v em muitas páginas, colavam na planilha, salvavam e alguem importava no sistema.

Tá, aí perguntei: “por que não fazer um robô pra isso?”

A reposta dos meus colegas gohorses pog-masters e do nosso chefão foi praticamente em coro:
“Tá Louco? Muito trampo! E se der merda quem assume? Tá funcionando deixa.”

Então tá, a galera continua copiando e colando manualmente e todos estão felizes.

Bom… Nos últimos dias rolou um stress por causa de uns dados que “alguém” pediu. Digamos que esse alguém é um grupo externo, que poderia foder a empresa toda com uma canetada caso os dados estivessem errados, faltantes, estragados, etc. Detalhe, ficaram sabendo disso em uma sexta-feira pra entregar na segunda.

Adivinha quais dados? Isso mesmo, a porcaria das planilhas copiadas e coladas.

O única saída enxergada por um diretor foi: “chama o máximo de peãozada! vamos fazer um mutirão pra começar o copy-paste!”

A manada de uns 30 horses copiando e colando por horas até conseguirem alimentar as planilhas.

No final conseguiram, maravilha tudo ok. Fiz um script em Jquery correndo para ajudar os caras por causa das paginações. Só rodar no console de javascript do Firefox.

Após logar no sisfies rodar a primeira parte e aguardar os iframes carregarem.

No frame de cima, entrar na primeira pagina listagem dos contratos.

Quando estiver carregado, rodar a segunda parte do script, e a mágica acontece.

—————————————————————————————————-

//primeira parte
function callNext(){
var bodydown = $(‘#framebaixo’).contents().find(‘body’);
var tabletudo = bodydown.find(‘#tabletudo’);
var tableorigem = $(‘#framecima’).contents().find(‘#sorterdocuments’).children(‘tbody’).clone();
tableorigem.children().each(function(){tabletudo.append(this)});
var pagecontrol = $(‘#framecima’).contents().find(‘.pagination-control’).children();
botao = pagecontrol.get(pagecontrol.size()-2);
if(botao.className != ‘disabled’){botao.click();}
}
$(‘.barra_governo’).hide();
$(‘.main’).hide();
$(‘body’).append(‘<div id=”divframes” style=”top:0px;left:0px;z-index:999″>’);
$(‘#divframes’).append(‘<div style=”top:0px;left:0px;z-index:999;width:100%;height:400px;”></div>’);
$(‘#divframes’).append(‘<div style=”top:0px;left:0px;z-index:999;width:100%;height:400px;”></div>’);

//secunda parte
$(‘#framebaixo’).contents().find(‘.barra_governo’).hide();
$(‘#framebaixo’).contents().find(‘.main’).hide();
var bodydown = $(‘#framebaixo’).contents().find(‘body’);
bodydown.append(‘<div id=”divtable” style=”top:0px;left:0px;z-index:999″></div>’);
bodydown.find(‘#divtable’).append(‘<table id=”tabletudo”></table>’);
$(‘#framecima’).bind(‘load’,function(){callNext();});
callNext();

—————————————————————————————————-

No meio da bagunça uma coisa me deixou encucado com uma frase que eu ouvi:

“NÃO DA PRA FAZER ESSE ROBÔ!” “POR MOTIVO X!”

quando eu sei que tecnicamente é possível, esse tipo de afirmação me irrita profundamente.

Principalmente por que o tal “MOTIVO X” resolvi em 5 linhas de código.

Me irritou tanto, que fiquei inspirado no fim de semana e fiz o tal robô, publiquei na net.

Quem quiser usar fique a vontade, não me responsabilizo, segue link do repositório:

http://bitbucket.org/nilzao/sisfiesbot

Se precisar de suporte abre um chamado no bitbucket:

http://bitbucket.org/nilzao/sisfiesbot/issues

Anúncios

Celulares de merda ou golpe?

Bom… hoje analisando base de dados, códigos de monte, cruzamento de valores perdidos no banco, fonte com xgh, pog, sem documentação, sem comentários, uma zona.

Do nada, um celular que eu uso, onde o número não é divulgado, só usado para falar com os manos da empresa recebo um sms e começa uma conversa estranha, o número: 11 980-699-255, duvido que a “dona” do telefone vai me mandar sms denovo ou comentar no blog.

– Quem é?

eu: Nilzao da avantix.

– Acho que vc ligou errado com quem vc quer falar?!!

eu: Não liguei nesse número…

– Da ind vc é? (2x)

eu: São paulo capital.

– Serio

– Ta qual zona?!!

eu: … Quem está teclando?

– Pq?

eu: Porque não sei quem eh…

– Meu nome é monica

– Vc mora ainde?tipo q bairro?!!

eu: Jardim angela zona sul.

eu: Não acredito em você.

– Pq?… eu moro aki na zona norte… vila nova cachoeirinha..

(ligando no número… chama com um toque fora do padrão parecendo voip ou um pabx, ninguém atende)

eu: E não atende o telefone… Não saquei ainda o tipo de golpe. Melhor esquecer.

– …é q estou trabalhando e ñ posso atender

eu: Qual seu trabalho?

– Agora vc ñ vai me responder

– Caixa

eu: Responder o que?

– E vc faz oq

eu: Trabalho com computadores.

– Qual sua idade?como vc e?!?

eu: 19 anos. Negão.

– Novinho

eu: E você?

– 28.

eu: Porque eu acreditaria em você?

– Nao sou criança… c quizer acredita…. me passa seu face pra eu te add, oq acha???

– Me liga agora pode ser… estou tomando café

eu: Pra quê? Sabe que posso criar um falso só pra te rastrear.

(Ligando denovo)

Uma mulher atendeu, tinha outro no fundo, perguntei pela monica, ela respondeu, perguntou se eu era do Jd. Angela e tal, eu disse que não, que nada do que eu disse é verdade, não confiava nela. Ela disse que também não, achou que eu era alguém da cadeia passando trote. Admito que fui muito troll nesse momento. A mocinha do fundo deu risada, estava no viva-voz. Garanti pra ela que eu não tinha ligado, pra ela verificar o celular. Ela ficou muito puta quando eu disse que não confiava nela.

As mensagens continuaram:

eu: Vou verificar se clonaram este número. Garanto que não te liguei.

– Vai pro inferno e ñ me pertuba maiss

– A ta resolvi gastar meus credits com um idiota… (aqui eu senti o golpe, eu ficar com dó e depositar créditos? tá bom…)

eu: Ok, não te pertubo mais. Vou pro inferno só semana que vem. Adoro ir lá. (sim, é muito legal principalmente quando está mais lotado e tem openbar)

– Me ligaram umas 2h atras seu rediculo… ñ me pertuba mais blz.?

eu: Não fica brava. Vou pedir pra verificarem meu número e ver se tem clonagem. Garanto que não te liguei antes da sua primeira mensagem.

– Oi aqi é amiga da monica sera q vc é um travekao kkkkkkk

eu: Desculpa por não confiar em você. Não eh pessoal. Recebo muito trote.

eu: Por que eu seria? Ouvi você rindo no fundo…

– Falo tufao kkkkkk (porra quem é tufão? depois pesquisei no google e descobri que é alguem da última novela das 8)

– Estava no viva voz… é q vc deve ser o filhinho da mamãe…

eu: claro… Por que seria? Tenho mesmo 19 anos? Verifica o número denovo. Confere…

– Conferir oq??brisou nas ideias tchauuu

eu: Confere o número do celular que te ligou. São 9 números com ddd. Não fui eu. Como posso comprovar?

– Eu se..o dd é 11

eu: Sim. Só ddd 11 tem 9 dígitos

– Esquece bkz

eu: Até quero esquecer. Mas fico pensando… Se foi uma tentativa sua de golpe bem elaborada, ou engano, ou falha técnica da operadora de cel, ou clonagem do meu número…

(agora ficou estranho, depois da mensagem explico por que…)

– Entao lga na sua operadora e reclama certo,ñ tenho tempo.pra ficar brincando ñ estou em horario d serviço,portanto ñ me encomode mais…sera q esse é mesmo seu nome??!vc deve tá. Em algum pavilhão… boa sorte ai pra vc fui…

eu: Visita meu blog de computação… nilzao.wordpress.com não sou do pavilhão. E meu blog não facilita me achar.

Bom… explicando algumas coisas. Sei que a última mensagem foi enviada de outro aparelho, certeza absoluta, se bobear até por outra pessoa. Todas outras mensagens tinham a codificação de acentuação zuada. Caracteres acentuados vinham com (?) e na última mensagem os acentos vieram corretos, e a pontuação sem espaçamento, fora do padrão das primeiras mensagens.

Agora que vou acabar de postar, vou mandar um sms pra ela. Quem sabe ela adiciona um comentário?

Beijos Mônica, me liga pra irmos passear lá no inferno, aposto que vai gostar.

TISSNet5 ANS

Essa levou o dia inteiro. Como sempre, começando com a historinha…

Comecei um trampo novo para uma softwarehouse, eles tem um sistema de laboratório fodão, completo, cheio de funcionalidades e tudo mais.

Esses vagabundos da ANS inventaram um padrão de comunicação entre os bandidos dos convênios e os pilantras que fazem exames.

O problema é que o padrão não é padrão… Estranho, cada corno de t.i. de cada convênio faz uma merda diferente e se acha o rei da cocada preta. Com seus milhões de bugs. Alguns convênios começaram a dar problema alegando calculo de hash inválido, erro em dado, etc. A galera de bio, medicina, laboratório, só responde: “Não sou de T.I. como assim clicar com o botão direito do mouse no arquivo xml?”

Aí tem um programa perdido por chamado TISSNet feito em java que a ANS disponibilizou. Parece que parou na versão 5.0 e não tem no site deles, alguns sites apontam para links quebrados no site da ANS. Esse tal TISSNet valida os xmls, então é bom ter ele pra dizer pros convênios: FUNCIONA NELE! VOCÊS QUE TÃO ERRADOS.

Google é meu pastor e nada me faltará, encontrei esses caras:

http://www.solus.inf.br/beta/TissNet5.0.zip

http://www.unimed.com.br/pct/index.jsp?cd_canal=54473&cd_secao=54888

O programa é em java, instalei o java em uma máquina virtual qualquer, coloquei os schemas atualizados:

http://www.ans.gov.br/padroes/tiss/schemas/

Para pegar todos schemas, usei um “wget -r”

Detalhe, a merda do programa só funciona com o java 6, instalei o java7 e ficava irritando dizendo “O documento é inválido: nenhuma gramática encontrada”. Usando o jre6u32 funcionou.

Um blog muito ninja que ajuda muito a galera que apanha de TISSNet que achei:

http://blog.aplataforma.com.br/

 

 

Webm com html5

Pensei em reformular o site para da minha empresa, descobri problemas no público.

Ultimamente, observei que ninguém lê. Tem tanto lixo na internet, que nossos olhos só procuram palavras-chave, os adolescentes mal conseguem ler 140 caracteres e interpretar. No facebook tem fdp postando imagem escrita com letras grandes porque ninguém lê o que é escrito normalmente na timeline.

Inventaram uma sigla pra textos longos TLDR (Too Long, Didn’t Read). Com tanta imagem, video, áudio, podcasts, radio online, tv online, pra que ficar lendo textos longos? O negócio é procurar um videozinho explicativo, uma imagem com gráfico, ou um podcast contando uma história.

Admito que também faço isso, ler textos longos na internet requer concentração, paciência, muita vontade de querer entender o que se passa. Muitas vezes está no primeiro parágrafo do texto de 200 parágrafos, já não concorda com o lixo escrito pelo autor e começa correr os olhos pelo texto furioso em busca de algum conteúdo que interessa.

Com essas conclusões, percebi que os sites corporativos, institucionais de empresas pararam no tempo. No máximo um flash porco, um blipblop no som, uma barra social com curtir do facebook, um retweet, um g+ etc.

O chefão que fecha negócio nos assuntos que sou especialista, geralmente é super ocupado, não tem tempo nem pra cagar em paz, a internet tá entupida de lixo. Texto pode deixar a mensagem com duplo sentido. Com esse perfil, nunca esse cara vai ler um site padrão completo no estilo “bem vindo”, “quem somos”, “produtos”, “fale conosco”.

Poucos vão ler, eu poderia escrever uma receita de tapioca recheada com carne-seca no “quem somos” no site da empresa que passaria despercebido.

Em uma botecada com minha esposa, pensado no novo site, novo conteúdo, já bem bêbado surge a epifania.

Fazer site com vídeo interativo! Grande coisa, já existe isso no youtube de monte. Mas não achei uma empresa que eliminasse seu site e colocasse videos interativos no lugar de conteúdo padrão atual.

Alguns dizem: “mas e as pessoas que não tem banda larga? Como vão ver o site? Vai perder clientes assim!”

Minha resposta: “Se o cliente em potencial não tem dinheiro para pagar uma banda larga na empresa ou na casa dele, não vai ter dinheiro para contratar meus serviços”. Indo mais longe, se o tal cliente em potencial não gosta de gastar com tecnologia, ainda usa o pentium3 que pagou R$ 5.000,00 na época com windows 98, não sou eu quem vai convencer esse dinossauro a mudar.

Vamos ao que interessa. Criei esse post por causa da luta com os lixos de html5.

Fiz roteiro, fui em estúdio, contratei ator, gravamos tudo. Com os videos na mão, começou a brincadeira.

Escolhendo o codec:

Navegando por aí, vai ver que tem tabelas explicando onde roda o que. Logo de cara eu ignorei o IE. Já que só o IE9 roda vídeo, e só no formato h264. Vou testar o google chrome frame para não se preocupar com IE.

http://www.youtube.com/html5

Optei pelo container webm, que já roda no firefox a partir do 4, Opera, no chromium e google chrome. A compressão fica boa, é aberto e o tio Google tá apoiando total. Inclusive comprou a empresa que cuidava do webm e arreganhou a documentação e fonte.

Editei e salvei os pedaços usando o Pitivi no ubuntu no formato webm.

Html5, tag video no portal w3cschools.com:

<video width=”320″ height=”240″ controls=”controls”>
<source src=”movie.mp4″ type=”video/mp4″ />
<source src=”movie.ogg” type=”video/ogg” />
Your browser does not support the video tag.
</video>

Modifiquei um pouco, coloquei outras tranqueiras, aproveitei o evento “onended” para disparar javascripts.

<video width=”320″ height=”240″ autoplay=”autoplay” onended=”funcaoFromHell();”>
<source src=”movie.webm” type=”video/webm” />
</video>

Testando no chromium, no firefox, tudo ok funcionando localmente com file:///home/nils/video/blablabla.html

Quando coloquei em produção, a surpresa… o video não funcionava. Em http://www.minhaempresa.com.br/minhapagina.html só funcionava na última versão do chromium ou do google chrome. Firefox não funcionava.

Caçando por aí, achando que era bug do firefox, estudando os html5 perdidos por aí, descobri que faltava alguma coisa no cabeçalho do arquivo para avisar o firefox que é um video.

Quando eu acessava http://www.minhaempresa.com.br/meuvideo.webm pelo firefox, ele pedia para salvar. Não tocava automaticamente igual quando era local em file://

Pensei em usar pilantragem no php, para usar a função head com content_type ou algo do tipo. Mas fazer o server sofrer com load de videos em memória ram só para mudar o cabeçalho é muito porco.

Solução simples, editar o .htaccess que fica no servidor apache, com mod_rewrite.

<IfModule mod_rewrite.c>
AddType video/ogg .ogv
AddType video/webm .webm
AddType video/mp4 .mp4
</IfModule>

No final fiquei um pouco assustado com o chrome. Ele se virou pra funcionar, e o firefox não. Se o chrome deixar programadores editar html e javascript porcamente desconsiderando alguns padrões o chrome será o IE do futuro.

Vmware Player com Win98 raw

Sabadão fui no dentista para ver se o bafo de bode tinha jeito. Como sempre, os usuários olham sua profissão “programador” e perguntam: “legal, você conserta computadores também?”. Enquanto o doutor tá lá raspando o tártaro, com espelho, motorzinho, e tudo mais, trocando idéia comigo e perguntando se dava pra arrumar uma parada lá no micro velho.

A parada é a seguinte, tem um sistema de controle de consultório de dentista, com cadastro de pacientes, etc. Está no micro velho, que inclusive roda windows 98. Agora tem um micrão novo com winxp e na tentativa de copiar tal programa, o ninja que fez usou uma técnica para detectar se está no micro certo, e avisa: “Este micro não está autorizado a rodar esta porcaria de programa porco! ligue para o suporte e compre uma versão nova”.

Bom, o dentista pagou na época pelo tal programa porco, e não quer suporte nem atualização. Quando ele foi atrás da nova versão, a fabriqueta de software descontinuou aquela versão e agora a versão nova só funciona pagando por mês.

Sem os disquetes de instalação, sobra para o paciente do dentista ver se tem uma solução. Fim de semana chuvoso, beleza, vou levar esse micro velho pra casa e ver o que posso inventar para copiar o tal sistema.

Chego em casa e a muié me vê com um micro debaixo do braço. “PQP foi no dentista e volta com um micro? Já não tinha dito que tinha parado com o trampo de formatador?”.

Bom, fds com chuva, um desafio legal, poderia crackear esse software e colocar no piratebay para outros dentistas do Brasil já que ele está descontinuado pelo fabricante.

Resolvi fazer rodar o micro inteiro no vmware player. Pensei em usar o vbox, mas lembrei que o desempenho do vbox com win98 é muito ruim e não tem guestadditions.

Criada a imagem do enorme hd inteiro (15gb) em um linux qualquer:

dd if=/dev/sda conv=sync,noerror bs=64K of=/home/nils/hdwin98.img

depois rodar um programa em java que cria o vmdk.

http://sourceforge.net/projects/raw2vmdk/

java -jar raw2vmdk.jar hdwin98.img hdwin98.vmdk

achei que o jar ia criar um vmdk enorme de 15gb, mas só criou um arquivo de poucos bytes, de arquivo texto legivel pelo vmware player.

Após isso, máquina virtual deu boot, detectou uns hardwares do vmware e pronto. Win98 ligado com 16 cores, o tal DentistaControlFucker abriu.

Começou a saga para fazer funcionar o hardware do vmware corretamente.

Pro win98 extraído de um pc velho funcionar precisa:

– ter um cd do win98 copiado na máquina virtual, ou o iso montado.

– entrar no modo de segurança e arrancar TODOS dispositivos no gerenciador de hardware.

– iniciar no modo normal, e deixar detectar os dispositivos pnp, se isso não acontecer normalmente, entrar no painel de controle / adicionar novo hardware, mandar detectar tudo.

– reiniciar muitas vezes, típico de windows, até parar de detectar hardware.

– Aparentemente um dispositivo do vmware chamado pci-to-pci-bridge é detectado em loop infinito. Pesquisando por aí, descobri que ele é detectado 32 vezes. Então só adicionar as 32 vezes que tudo funcionará como esperado. Alguns dizem que dá para editar o arquivo vmx da maquina virtual e colocar pciBridge.present = False. Não tentei, adicionei todos.

– Depois de todos hardwares detectados, instalar o vmware-tools. Como não achei o iso de forma fácil, baixei a versão trial 60 dias de um vmware server fodão qualquer só pra pegar o iso do vmware-tools. Acabei achando um site da própria vmware que tem todas as atualizações do vmware-tools. Instalei o vmwarexpto trial fodão atoa.

O link é: http://softwareupdate.vmware.com/cds/vmw-desktop/ dentro de player/versao/build/windows/packages baixar o tools-winPre2k-x.y.z.exe.tar

Depois de descompactar o tar, chamar o executavel para extrair:

tools-winPre2k-x.y.z.exe /e dirqqer

Depois descompactar o .msi que aparecer, lá dentro tem o iso.

Agora tenho uma máquina virtual que funciona o tal programa travado só para ela. Tendo uma que funciona e outra que não funciona agora fica fácil estudar o programa do dentista e crackear com um editor hexa qualquer.

Golpe do Skype

Pois é, a Transit cortou relações com o Skype. Logo em seguida a MicroFofo comprou a Skype. Perdi minha linha fixa, já tinha impresso 1000 cartões de visita com o telefone, já tinha passado o número para clientes em potencial, tava tudo no esquema. Telefonista nas nuvens atendendo, rachando salário dela.

Entre os caras que ajudavam a pagar a telefonista, um desistiu, outro achou que o serviço não tava bom, o dono do server pediu ele de volta… Fiquei nervoso e desmontei tudo, não temos mais telefonista nas nuvens, só sobrou o conhecimento e a revolta contra o Skype. Não tem pra onde fugir, só tem serviço porco de telefonia nesse país.

E usar voip em internet lerda e cara. Chamar 5mbps de banda larga é um absurdo. Tem gente que diz que 512kbps é banda larga. Pro volume de informação que circula na rede, pelo peso dos sites, do conteúdo html5, flash, unity, atualizações automáticas, videogames online como xbox, ps3, wii, rádio online, tv online, 5mbps é o mínimo. Em uma família com 3 computadores, já da briga: “Pô mãe, para de ver novela no youtube em full hd que tá lagando meu xbox online!” ou também “Pai, já falei pra deixar as atualizações automáticas do win7 desligadas durante o dia, que ela come a internet!”. Não tem serviço de qos que consiga lidar com tanta tralha que circula ao mesmo tempo com pouca banda.

Fora quando um imbecil na empresa pega um virus que fica usando a máquina dele de zumbi fazendo ataque ddos em servidores externos acabando com a rede.

Voltando ao assunto Skype x Microfofo, desisto do skype, essa empresa microfofo tem o dom de Midas invertido. Onde põe a mão vira merda. Logo o skype vai ser uma tranqueira pesada inútil que consome 3 núcleos do quadcore, 2gb de ram pra ficar em standby do lado do relógio, fechando e dando erro sozinho sem motivos, e milhões de propagandas espalhadas pela janela.

Não duvido que cortem completamente a compatibilidade com linux. Skype vai morrer, questão de tempo, melhor pro google talk.

Google tinha que comprar o skype, já que vai ter o google tv em breve, e o skype tá aparecendo nas tvs também. Fazer o que… Skype já tava dando pau demais, falhando com os usuários, já tava virando um serviço estilo microfofo, vai ver é por isso que compraram, por ter ficado ruim igual eles.

Asterisk com skype

No final de tudo, voltei pro asterisk, o freeswitch funciona bem melhor que o asterisk, mais estável, mais escalável. Mas como sempre, essa vida de adulto não deixa mais ficar estudando para resolver todos os problemas e detalhes que aparecem. Tive que voltar para o asterisk, e abrir mão da estabilidade.

Brigando por aí, tive que aprender configurar skype no asterisk.

Solução com grana: comprar skype business, para sua conta virar um sip nos servidores do skype, pagar por mês, comprar um chan_skype da digium.

Solução com hardware: colocar um “ata” que conecte no skype, e colocar uma placa fxo. Tem também um gateway skype, que faria esse trabalho, mas tem que importar, e não é barato.

Solução com software e gambiarras: um maluco desenvolveu um gateway skype, que conecta na api do skype e também conecta em um peer do asterisk. Lendo as respostas de suporte no forum dele, da pra ver que ele é meigo igual um troll com os newbies.

Segui o tutorial desse link:

http://www.mhspot.com/sts/siptosis_skype_trunk_howto.html

Telefonista nas nuvens

Com toda essa brincadeira de freeswitch, procurando alguém que preste estes serviços, já que ninguém quer vender isso, juntamos uns amigos e rachamos o salário de uma telefonista remota.
É simples. Ela fica com um telefone voip, nesse telefone tem um display que aparece o nome da empresa. Ela atende “Informática do Nilzão bom dia!”. Ou “Consultoria do Roberval Boa tarde”. Depende do que aparece no display.

Eramos 4, mas um bunda-mole desistiu. Então tivemos que assumir o salário da telefonista por nossa conta. Detalhe, o bunda-mole folgado fica com a telefonista no escritório dele. Veio com um papo de que “estou deixando vocês usarem meu espaço e minha internet”. Pra pqp, forgado demais. Como se ela não fosse atender as ligações dele também.

Explicando a brincadeira, é maisoumenos assim:

http://Pixton.com.br/ic:RGURATFF

Se alguém tiver interesse nisso, me avisa. Podemos dividir o salário da telefonista cada vez mais, enquanto ela suportar o volume de ligações.

FreeSwitch rulez

Skype + FreeSwitch no linux.

Após alguns dias brigando com isso, finalmente funcionou, agora preciso aprender a configurar o freeswitch.

Para instalar skype no freeswitch segui os passos do wiki (não necessariamente na mesma ordem).

http://wiki.freeswitch.org/wiki/Skypopen

Mesmo não achando a versão que pediram, fui até o fim e consegui fazer funcionar o skype_in, agora tenhum um número de chão com DDD 11, comprado na skype, rodando no meu freeswitch.

Um detalhe que percebi, logo na primeira ligada do server, o tronco do skypopen não consegue transferir ligações, ele se perde por algum motivo de áudio, não li o log direito, então fiz uma gambiarra como sempre.

Fiz um tronco sip_in no freeswitch, que conecta nele mesmo em um ramal qualquer. Esse ramal é o que recebe as ligações skype_in, o tronco passa para o ramal certo da telefonista (humana por enquanto), que vai dizer: “Informática do Nilzão bom dia!”.

Na primeira ligação que o freeswitch recebe do skype_in, ela cai, daí pra frente funciona muito bem. Não estudei porque raios isso acontece, mas estou com pressa, o ano está acabando e eu ainda não tenho telefonista humana desde que um raio fritou meu modem no asterisk, depois a vono me fodeu. Isso já faz um ano.

Com a telefonista humana, fica legal distribuir cartões para futuros clientes, e até agora 100% dos testes a qualidade do skype ficou perfeita. Diferentemente da merda da vono que ficava cortando até na ligação da caixa postal.

Virtualbox Voip

Magavilhas do mundo geek.

Decidi largar minha operadora voip (vono) por ter problemas com meu número.

Primeiro problema: ao ligar para alguém, dependendo da sua sorte, aparece “número privado” coisa de bandido mesmo, poucos gostavam da idéia de um número anônimo ligando, ainda mais com alguns lances de sequestros relâmpagos e golpes fajutos de sequestros que nunca existiram. As vezes aparecia um número qualquer aleatório. Segundo os vendedores da vono, dizem que é sempre o mesmo número, e se alguem ligar para o tal número ouve uma mensagem: “gvt informa número inexistente”. Legal né? Liga pro cliente, faz a venda, ele retorna no número que apareceu no identificador e vai pensar o que? Golpe?

Segundo problema: quando um usuário da operadora faz uma ligação, esse número aleatório aparentemente é um número do tronco E1 deles. Percebi que é isso, pois recebi ligação de um senhor a noite no meu telefone dizendo: “oi, de onde fala? é que recebi uma ligação desse número no meu identificador de chamada, mas eu não estava em casa e perdi a ligação.” Porra vono, nego passa trote e depois me ligam pra brigar? Expliquei pro cara que é “telefone de internet” que posso ligar pra ele e vai aparecer um número aleatório no bina dele. Ele acreditou e ficou por isso mesmo, mas eu queria fazer o teste pra valer.

Terceiro problema: Começaram a fazer telemarketing anunciando meu número, e o pior as vezes o número realmente aparecia no identificador. Fiquei na dúvida do que estava acontecendo, fiz uns testes. Desliguei os softfones, atas, e qualquer tranqueira, e tentei ligar pro meu número. Nada de mais, só a mensagem da gvt da caixa postal. Como eu odeio caixa postal, desliguei essa merda inútil. Mesmo assim invocado e teimoso testei outras coisas. Pedi para pessoas de outras cidades com mesmo ddd 11 ligarem para meu número. Descobri que se eu pegasse um telefone da net/embratel em São Paulo e discasse 021 11 4444-xxxx (meu número) ele chamava até cair. Legal né? Tem alguma cagada nisso.

Quarto problema: usando o asterisk, as vezes o telefone dava caixa postal do nada e não me encontravam. Mas com o tempo descobri que o asterisk é um lixo porco mal feito, então não posso culpar a operadora voip.

Decidi então migrar pro skype + asterisk, ou skype + freeswitch, mas eu nunca tinha brincado com freeswitch então não sabia como fazer.

Nas pesquisas, descobri que muita gente reclama da estabilidade do skype no linux, achei algumas coisas, e acabei vendo um gateway skype/sip para windows nessa empresa: http://www.yeastar.com/

Baixei a versão 30 dias, em apenas 2 dias para ver que não prestava. A versão personal (PE) que hoje custa 15 dolares funcionou parcialmente. Não culpo só meu hardware, separei uma máquina para isso (Athlon 1,6ghz 512 ram) mesmo monitorando o que acontecia com os processos, nunca passava de 20% do processador e a ram não passava de 200mb. Fiz uma instalação de wxp_sp3 em um hd separado zerada só para testar isso. Legal, funcionou bacana no ata por um tempo, porém quando o micro ligava, tinha que dar um “reset” no programa da yeastar para funcionar o ata ou o asterisk. Depois, mesmo no ata direto, o áudio ficava um lixo para o peão do outro lado, no ata eu sempre ouvia bem, do outro lado ficava horrivel, travando e cortando.

Usando o skypein ficou bom, mas também era de lua, hora ficava ruim hora bom, mesmo o processador nunca passando dos 20%. Nem testei ligar para fora, não é minha intenção agora.

Então descobri outra coisa maravilhosa, tentei instalar em uma máquina virtual no vbox em um micro melhorzinho. Surpresa, o skype não funciona no virtualbox. Fazendo umas gambiarras, o skype rodou, mas o processamento ficava a 100% na maquina virtual. Desisti.

Perdi um dia instalando e configurando o freeswitch em um virtualbox, para brincar e ver se funcionava com skypein. Funcionou perfeitamente, legal, apanhei um pouco mas em algumas horas consegui fazer o skype funcionar no freeswitch para receber ligações. Conversar com o robô do freeswitch ou ouvir musica, ou echo test de 5 segundos, funciona muito bem. Na hora que tentei ligar para um ata, pronto, processador mais de 70% na maquina hospedeira e o audio do ata denovo ficava um lixo, em 3 atas diferentes, mesma porcaria, usando codec alaw  (g711a).

Outra coisa que me irritou no asterisk, tenho um voiper da intelbras, que paguei R$ 250,00 na época que comecei a brincar com asterisk. Cheio de botões, lcd bonitão mas dava vários paus de sip, e muitos botões não funcionavam no asterisk. Ao instalar o freeswitch, funcionou tudo perfeitamente, sem stress. Eu colocando a culpa na intelbras, sendo que o asterisk é porco e instável demais.

Agora estou finalizando um micro separado só para o freeswitch (Athlon 64 3000+ 2,4ghz 2gb ram ddr 400). Está compilando nesse momento, então resolvi perder tempo blogando para desabafar. Assim que terminar eu posto denovo dizendo se funcionou.

Conclusão, voip não pode ser virtualizado se usar codecs comprimidos.

Mas no nosso país, processamento é mais barato do que banda de internet, então é mais barato por um micro separado processando os codecs do que deixar o alaw comendo banda.